Papo de Preta

Meu cabelo e a sua curiosidade racista

1 de fevereiro de 2018

Em primeiro lugar essa imagem do post diz tanto sobre nós, mulheres negras e os nossos crespos né? Nossa infância crespa não foi nada fácil rs…
Bom, essa semana eu postei um vídeo em que a cantora Iza é bombardeada de perguntas sobre as suas tranças e vamos ser sinceras? Quem nuuuunca passou por uma situação chata como essa? 

– Nossa que cabelo diferente!

– Você lava?

– Você tira pra dormir?

– Mas como você coloca?

– Nossa acho muito estiloso. 

– Demora muito pra fazer?

– Dói muito? Ai, deixa eu pôr a mão?

– Nossa é cheiroso né? Ai é fofinho parece um algodão! Nossa que macio.

Essas entre outras perguntas são feitas rapidamente uma atrás da outra e quando você menos percebe, uma mão esta mexendo e analisando cada canto da nossa cabeça. O que as pessoas esquecem de comentar é que esse tipo de ”curiosidade” é totalmente racista. 

Poxa sté, eu amo e admiro os cabelos afros e seus variados tipos não sou racista.

Antes de continuarmos esse assunto preciso te explicar que por muitas vezes o racismo não é escancarado e as vezes as pessoas são racistas sem nem ao menos ter a intenção. É por isso que precisamos de informações diárias como essas para nos informar e simplesmente desconstruir algo que a sociedade formou tão fortemente.

Então vamos começar por partes pra ficar bem explicadinho:

Achar cabelo afro exótico não é legal

Não, nossa beleza não é exótica. Não queremos que você nos veja como a diferentona simplesmente porque usamos nosso cabelo NATURAL. Você consegue perceber a ironia que existe em alguém me achar diferente por estar natural? Sim, por muitos anos os negros demoraram para aceitar o que sempre, entenda bem, SEMPRE foram deles. Os cabelos crespos, as formas de diferenciá-los com tranças, dreads e vários penteados. Só que por muito tempo nos diziam como deveríamos andar até que com o tempo a ditadura do liso foi sendo quebrada. Então agora que estamos bem com nós mesmas, não ache que somos algo exótico, o que usamos por estar na moda. Nós simplesmente estamos sendo nós mesmas.

Porque você pergunta se conseguimos lavar?

Há poucos meses saiu um comercial na china (não sei bem se é na china) que mostrava uma moça colocando um homem negro na máquina de lavar e ele saiu de lá branco e totalmente limpo. Sim, a sociedade racista te fez acreditar que negros são sujos, que negros fedem e etc. Então sua dificuldade de entender que cabelos afros são lavados normalmente, nos diz que você pensa nossos cabelos são sujos ou que não temos higiene e cultivamos os cabelos sem lavar. ‘’Há mas eu só pergunto porque não imagino como deve ser lavar esse tipo de cabelo’’. Quantas vezes você perguntou para uma pessoa com progressiva como ela lava o cabelo? Saiba que lavamos nossos cabelos normalmente como qualquer outro, esse tipo de pergunta acaba sendo maldosa, invasiva e muito racista.

Porque você precisa tocar no cabelo?

Aqui entramos mais uma vez em você achar o nosso cabelo tão exótico, tão diferente que rapidamente coloca as mão para senti-lo. Assim que você parar de achar o nosso cabelo diferente automaticamente aproveite e pare de querer colocar as mãos, é invasivo e muito chato. Certo dia estava em uma loja e quando olhei para trás uma moça estava simplesmente com a mão no meu twist analisando como se tivesse achado aquela mecha no chão. Porque você acredita que tem a total liberdade de colocar as mãos em um cabelo sem que você nem ao menos falou com a pessoa? Imagine a cena: uma mulher de cabelo liso está no trem, do nada uma pessoa chega perto dela e começa a mexer em seu cabelo sem falar nada. Com certeza tanto a mulher como os outros no trem iriam achar estranho não acha? E porque com os cabelos afros seria diferente? É como se fossemos objetos em instantes entende? Como se o nosso cabelo não pertencesse a nós e sim a você e a sua curiosidade. Então é melhor não colocar tá? 

Só dê a sua opinião se for solicitada

Existe uma relação muito forte entre uma mulher e seu cabelo. Nós negras passamos o pior que você pode imaginar para começar a amar o que temos na cabeça. Inventamos penteados e fazemos de tudo para passar pela transição linda e plena. Enfrentamos nossos medos, ficamos horas e horas no espelho encarando o visual até se sentir completamente bem.Tudo isso pra você simplesmente dizer “ AI EU NÃO GOSTEI, PREFIRO O OUTRO” ou “ PORQUE VOCÊ NÃO ALISA?” ou “ ESSE TÁ ESQUISITO, VOCÊ NÃO ACERTOU’’. Acho que se ninguém te fazer a humilde pergunta: – E ai, o que você achou?  – É bom você guardar a sua opinião negativa para você. Nós já somos atacadas diariamente com placas grandes e luminosas que dizem NEGRAS NO BRASIL NÃO SÃO VALORIZADAS. Não precisamos de mais um comentário que acabe com a nossa auto estima ou que nos tire do sério. Então se ninguém perguntar apenas fique em silêncio é o melhor a se fazer. 

Ter o cabelo que quiser sem ser incomodada é o sonho de qualquer mulher negra, ir ao mercado sem ter milhares de olhares te perseguindo, mãos tocando sua cabeça e perguntinhas bobas ferindo nossa paz interior. Antes de agir pense um pouco e veja se a sua curiosidade está atrapalhando a minha liberdade.

 

Comente&Compartilhe

 

 

Você Também Pode Gostar De