Destaque, Papo de Preta

COMO É A CONQUISTA DE UM SONHO PARA A MULHER NEGRA?

3 de março de 2020

< Carta Aberta>

Eu estava lá, sentada, esperando meu café da manhã ser feito em uma lanchonete perto do escritório no qual trabalho. Eu simplesmente tinha dinheiro para um café da manhã bem reforçado aquele dia, venci as estatísticas e sou parte de uma pequena porcentagem de mulheres negras que estão em cargo de gestão. Estava lá, com 25 anos, bem arrumada e com um cargo legal na carteira, com uma equipe para gerir, com marcas para cuidar, eu estava lá, olhando para toda aquela gente tomando café e sentada ao meu redor e então percebi que só eu estava lá. 

É solitário. 

As babás passam por mim olhando com atenção, com certeza devem ver as filhas delas em mim:  – Moça, seu cabelo é lindo… tô tentando fazer minha filha gostar do dela. 

É ser a única a se preocupar em dar bom dia para as mulheres negras que limpam os locais; 

É ver os patrões deixando as babás no ponto às 22:45 com carrões de luxo e ver os filhos brancos chorando no banco de trás querendo as mesmas; 

É complicado. 

É ter começado a trabalhar com 15 anos de idade, pra comprar um all star dos sonhos, aliás eu sempre andei com roupa emprestada, até meu uniforme era doado e eu agradeço a Cida por isso. É ter sofrido depressão por seu trabalho ser extremamente estressante e você ser muito nova para lidar com aquele público. É querer fazer a faculdade dos sonhos e dar todo seu salário nele para conseguir estudar e conquistar um estágio. Depois ter que trancar a faculdade porque o salário do estágio não era suficiente, e eu agradeço a minha primeira empresa em que estive no marketing, que não me mandou embora mesmo tendo trancado. 

É fazer o ENEM, passar e acreditar que sua vida seria muito melhor daquele dia em diante e se ver em vários momentos sem nenhuma pessoa negra ao seu redor ou tendo que ouvir bordões racistas de alunos e professores. 

É ver sua amiga sendo excluída de um grupo da sala por ser de esquerda. É você ser uma menina negra, de família humilde estar descendo a rua da faculdade para ir ao estágio enquanto ouvia os moradores dos prédios de classe alta batendo panela em suas varandas.

É ter que trazer assuntos raciais em seus trabalhos e ter toda uma sala querendo te atacar profundamente com questões racistas e respondê-los um a um. 

É ficar feliz e acreditar que pronto, a faculdade acabou e agora os seus sonhos de conquistar aquele cargo será lindo. 

E é perceber que eles sempre querem te pagar menos enquanto você trabalha mais, que eles não te validam como profissional até que você precise ter uma postura totalmente elevada, firme e potente. E então ouvir que você é resistente demais. 

É ser cortada nos meios das reuniões, é estar falando e vendo que o outro está apenas olhando seu cabelo. É ir para grandes eventos de marketing e não ver ninguém como você nem palestrando, nem nos stands, no máximo te servindo. 

Mas também é bonito pra caramba você ver a tua evolução, ver sua família chorando de orgulho por ter dado o primeiro diploma da família, é ir contra o sistema, é acreditar mais em você do que em qualquer outra coisa do mundo. É entrar de cabeça erguida para comprar nos shoppings que você tinha vergonha de entregar currículo, é passar por lugares em que você já se viu caída, cansada e que agora tá bem melhor. É marcar seu território em locais que só você se vê e fazer de tudo para colocar mais gente como você nesses espaços. É poder cobrar diversidade de qualquer fornecedor seu, é se posicionar, é se manifestar profissionalmente com pautas que não seriam levantadas se você não estivesse ali. 

O que preciso dizer é que se você tem total consciência de quem é, saberá que em todas as conquistas você terá pelo que se incomodar. Em nenhum momento as coisas ficam mais fáceis ao contrário, quanto mais você cresce e quanto mais você tem responsabilidades mais a carga aumenta. Mas você é mulher negra, forte, empoderada e etc né?

 Eu tive que parar de usar minha capa de mulher negra resistente e mostrar que as vezes eu vou ficar mal, as cargas pesam demais porque você precisa ser 70 vezes melhor para estar onde quer estar. Então por mais que hoje eu agradeça todos os dias pelas coisas que conquistei eu admito que sei o espinho de cada conquista. A lágrima de cada crescimento e o esforço que precisei fazer pra  estar aqui e aliás, estar aqui não me faz melhor, só me faz alguém com a alternativa de dar oportunidade para que pessoas como eu não precisem sofrer o mesmo que eu sofri. As oportunidades que apareceram na minha vida me levaram até aqui e eu nunca estive pronta pra elas eu só dizia sim e depois me virava para estar. 

O meu sonho era ser uma mulher independente, acho lindo ver uma mulher descer do seu carro ou ter seu negócio próprio, seja vendendo pano de prato, tendo um carrinho de cachorro quente. Minha vó era uma mulher sozinha, que criou seus filhos trabalhando de lanchonete a lanchonete fazendo salgados. Não tenho inspiração melhor.

 Não tive muita infância porque amadureci muito rápido para enfrentar as coisas da vida, então hoje faço de tudo para que aquela Stéphani que um dia se olhava no espelho e se sentia feia, que tentou se matar, que teve depressão, que passou por milhares de problemas. Hoje, possa ser extremamente mimada, cuidada, protegida e forte. Eu vou fazer de tudo por ela e farei de tudo para que quem vem atrás de mim não precise sofrer o tanto que eu sofri para conquistar alguma coisa. 

É isso preta, não vai ser fácil mas faça por você, faça por nós e faça para as crianças negras que estão vindo aí. 

Obrigada por ler até aqui!

You Might Also Like