Papo de Preta

A solidão da mulher negra em outro ponto de vista

14 de junho de 2017

Acho que a maioria de vocês já sabem o que é a solidão da mulher negra, muitas de nós concordamos com o fato, outras não. Eu apenas quero acrescentar outro ponto de vista sobre esse tema tão polêmico. Acredito que esse título além de ser sobre como o mundo nos vê é algo sobre como nos vemos. Então, antes de tudo quero que você pare para contar a quantidade de amigas negras que você teve durante toda vida, excluindo os últimos 5 anos.

Eu não sei você, mas no meu caso eu tive uma amiga negra até os meus 17 anos. Minhas melhores amigas nunca foram negras e eu sempre fui a negra no meio da turma, a negra da escola, mas acho bom deixar escuro de que antes dos 17anos nem eu mesma me assumia negra.

Isso mudou bastante não só em mim como no mundo, os negros estão se aceitando cada vez mais, nas ruas existem negras maravilhosas, cabelos maravilhosos, fotos no Facebook maravilhosas e por vai…. Mas pergunte para cada negra do seu Facebook o quanto elas ainda se sentem sozinhas. Se não por um relacionamento, por não sentir ter voz na sociedade (algo que vem mudando aos poucos) ou até mesmo por não ter uma ligação forte de amizade com outras negras. Isso pode não ter existido para você, mas para mim e para muita gente que eu conheço existiu e no meu caso ainda existe.

A amizade entre mulheres não existe pelo fato de que no mundo machista nós somos inimigas oficiais uma das outras, disputamos o mesmo cara, a mesma atenção, queremos ser mais bonitas do que as outras, ter o melhor cabelo e etc… Isso construiu um muro entre nós. Hoje muitos movimentos trazem a importância da união entre as mulheres, então comecei a reparar que mesmo com toda essa informação eu ainda sou encarada no trem por outra negra, eu me pego sendo reparada e as vezes os olhares são esnobes. Ainda vejo disputas entre nós, seja por homem, por estilo ou por cabelo.

Na faculdade eu acabei tendo a mais importante amiga negra que tive até hoje, e foi com ela que eu percebi o quanto era bom ter aquele tipo de amizade. Ela entendia as minhas dores, sabia se meu cabelo estava bom ou não, sabia sobre os artistas que eu gostava, sobre as séries que eu assistia e nossa, como é maravilhoso. Óbvio que não descarto minhas outras amigas, mas só eu sei o quanto foi difícil crescer com amigas brancas padrão da sociedade, demorei muito para amar minha cor e não desejar ter a cor delas. Para elas tudo era tão mais fácil e mais rápido, os beijos, os namoros, a auto estima vieram tão naturalmente que elas e nem mesmo eu entendia porque eu nunca era a escolhida (até eu entender rs).

Ser sozinha não é só sobre ter um homem do lado, é sobre ter uma mulher também. Respeitem uma as outras, respeitem o relacionamento das outras parem com essa necessidade de disputar, de ter que reparar, de fofocar, de serem falsas. Vamos se amar já temos tantas lutas, tantas dores e nós sabemos como é mais difícil passar por tudo isso sozinha, sai desse mundo de amizade virtual. Puxa um assunto, faz amizade, chama para sair. Você vai ver o quanto temos para acrescentar uma as outras.

You Might Also Like