Destaque, Papo de Preta

A IMPORTÂNCIA DE UM PAI PARA UMA MENINA NEGRA

13 de agosto de 2019

Eu sempre amei escrever desde muito nova, tenho dezenas de cadernos de poesia marcados por anos e sempre tinha um diário. Certo dia, meu pai leu o meu diário e viu uma página da qual eu pontuava exatamente duas coisas: Os meninos não se atraiam por mim e o quanto meu cabelo não era bonito o bastante.

Eu tinha desenhado uma menina com bunda e peitos grandes e um cabelão bem liso e longo com a seguinte legenda: como eu queria ser assim.

Naquele dia meu pai esperou eu chegar da escola, sentou-se ao meu lado na cama e disse coisas que me fizeram ser quem eu sou hoje. Me explicou como eu deveria parar de querer agradar os meninos e me preocupar tanto com eles e como eu precisava me amar e ser independente. Naquela época juro que não mudou muita coisa, eu continue odiando o fato de não ter tido privacidade nem para ter um diário dentro de casa, aquele cadeado pequeno não serviu de nada.

Meu pai sempre gastou parte do seu salário com minha estética, totalmente preocupado com o meu bem-estar e auto aceitação. Eu fui do miojinho á vários apliques desde muito cedo, é por isso que até hoje tenho total coragem de mudar sem preocupação alguma. Ele também me mostrou que eu precisava querer ter ao invés de depender de alguém, eu sempre sonhei em ter meu carro, minha casa, minha faculdade e tudo como conquista minha. Hoje entendo que tudo isso foi processo de falas de um homem negro que entendia muito bem as dificuldades que eu como mulher negra, iria enfrentar lá fora.

Eu passei por vários processos em que ele se atentou nitidamente enquanto eu ainda estava entendendo o espaço que a sociedade iria me dar.

Meu pai é um homem negro que engravidou uma mulher na adolescência e tomou a sua responsabilidade, casou-se, construiu uma casa própria, teve um bom emprego e constitui uma família totalmente consciente e eu sei que isso é um privilégio. Me ensinou o modo de como eu preciso ser tratada, me conhece bem e sabe exatamente o tipo de coisa que vai me fazer tomar decisões definitivas.

Até hoje eu busco mais opiniões masculinas, tenho mais amizades com homens exatamente por ter criado um relacionamento totalmente amigável com meu pai, por saber que o ponto de vista masculino sobre minhas questões femininas fortaleceria as minhas decisões.

Se hoje aceito minha pele, meu corpo, meu cabelo, minha vida, minha profissão. Se me posiciono fortemente sobre minhas opiniões, sobre quem eu quero ser e o que eu quero ter. É porque tive um pai presente que sabe que la fora não somos todos iguais, que eu seria vista SIM como alguém diferente, que me incentivava a largar o alisamento e amar meu crespo, que dizia o quanto eu precisava ser forte, ser melhor e ser alguém pra frente, já que o que a sociedade mais faz com a mulher negra é colocá-las para trás.

Obrigada pai por me enxergar quando nem eu mesma me enxergava.

Você Também Pode Gostar De